Marcaweb

Guia Completo para Marketing de Conteúdo

À medida que entramos na década de 2020, as coisas estão a mover-se cada vez mais rápido do que nunca.

O ciclo de produção-destino-publicação-descarte está fluir a uma velocidade vertiginosa, resultando assim em uma superprodução de conteúdo digital.

Com o novo conteúdo cada vez mais acessível por parte dos utilizadores a cada poucos segundos, a atenção atingiu um ponto crítico.

As pessoas não têm mais paciência nem tempo para vasculhar o conteúdo até conseguirem o que precisam. Mais descartável do que um copo de papel, o conteúdo que não atinge sua marca de imediato tornando-se lixo virtual.

Isso é particularmente relevante para a indústria de publicidade e marketing. Apenas dez anos atrás, nenhuma ferramenta de marketing era mais eficiente do que o anúncio comum. E, de acordo com o hábito humano usual, os profissionais de marketing começaram a exagerar.

Banners chamativos e pop-ups intrusivos alcaçando visitantes desavisados ​​levaram a uma sensação de saturação e, por fim, a uma aversão a esse método de marketing tradicional. Cue AdBlock, e hoje encontramos-nos em um dilema - se não anúncios, então o quê? De acordo com a maioria dos gurus de marketing progressistas, a resposta está no marketing de conteúdo.

Marketing de Conteúdo

O marketing de conteúdo não é uma coisa nova. Se pensar nisso como uma narrativa, o que essencialmente é, verá que existe há, bem ... quatro milênios. E sempre serviu a um propósito claro. Diversão, passatempo, contentamento, persuasão, argumentação... basta pensar em Scheherazade e os seus contos de 1001 noites. Por exemplo, isso pode ser um exagero, mas essa é a ideia.

O que hoje chamamos de marketing de conteúdo não é muito diferente da narrativa tradicional e, graças a isso, tem todo o seu poder. Portanto, hoje vamos dar um mergulho profundo neste método. Quando chegarmos ao outro lado, teremos aproveitado o poder do marketing de conteúdo e suas muitas estratégias e canais.


O que é marketing de conteúdo, afinal?

Se pesquisou por “marketing de conteúdo” do Google, provavelmente encontrou esta definição do Content Marketing Institute: “O marketing de conteúdo é uma abordagem estratégica de marketing focada na criação e distribuição de conteúdo valioso, relevante e consistente para atrair e reter um público definido - e, em última análise, para impulsionar uma ação lucrativa do cliente. ”

O marketing de conteúdo é uma narrativa feita sob medida para o público-alvo designado, criada para fornecer valor e servir a um propósito. Pode ser uma solução para um problema, uma resposta a uma pergunta, uma ideia, uma dica ou um conselho ... Desde que responda a uma necessidade, é bom. E se ajudar a aproximar-se de seu objetivo (conversão), tanto melhor.

Marketing de conteúdo

Há outra coisa que pode ser dita sobre marketing de conteúdo com certeza absoluta: ele funciona. Vamos ver por quê.

O marketing de conteúdo é, acima de tudo, envolvente. Ele atrai o público sem tentar vender nada (pelo menos não diretamente). Essa abordagem diz ao público várias coisas:

  • Que entende suas necessidades
  • Têm o que o seus clientes precisam
  • Não necessitam de nada em troca
  • Respeito pelos clientes e pelo tempo

Agora pode ser um bom momento para apontar que conteúdo é um termo amplo e abrange uma variedade de medias: da palavra escrita à imagem e vídeo, passando pelas redes sociais, é claro.

Isso significa que o marketing de conteúdo pode envolver qualquer coisa, desde visitas ao blog a campanhas virais no Instagram. É uma criação envolvente e atende ao seu público com um objetivo final em mente, enquanto respeita as necessidades dele.

Muitas pessoas pensam no marketing de conteúdo como algo inato ao marketing digital. Embora o marketing de conteúdo seja um dos pilares do marketing digital, ele é muito mais antigo e já existe há décadas antes dos primeiros PCs.

Podemos ir até o século XIX e encontrar alguns exemplos brilhantes de marketing de conteúdo - por exemplo, foi em 1888 que a Johnson & Johnson lançou seus Métodos modernos de tratamento anti-séptico de feridas e várias outras publicações destinadas a melhorar a saúde pública conscientização, na qual, é claro, promoviam seus próprios produtos, como curativos e gazes.

Da mesma forma, em 1896, a John Deere lançou The Furrow, um jornal sobre todas as coisas agrícolas, que era uma mistura de conselhos úteis, melhores práticas e questões atuais, salpicado com notícias sobre os produtos mais recentes da empresa. Não apenas The Furrow ainda existe, mas tem uma tiragem de 1,5 mil exemplares em 40 idiomas e 12 países.

A receita para o sucesso dessas publicações (e de muitas outras semelhantes) é incrivelmente simples e abrange exatamente o que discutimos acima - todas forneceram informações úteis e concretas que o público pode apreciar.



Benefícios do marketing de conteúdo

Como dissemos antes, uma das razões pelas quais o marketing de conteúdo funciona é que ele dá ao seu público o que ele precisa e dá-lhe algo (leads, vendas, o que for) em troca, sem ser intrusivo, agressivo ou insistente.

Obviamente, uma abordagem completa como essa certamente terá ótimos resultados:

Aumenta o conhecimento da marca - Brand Awareness

Existem muitas marcas por aí agora. O mercado é muito parecido com uma floresta e o consumidor médio é muito parecido com o Capuchinho Vermelho a tentar chegar à casa de sua avó sem ser comido por grandes empresas de jogos sedentas por seu dinheiro.

Marcas com forte reputação têm maior probabilidade de ter sucesso nessa floresta, mas e quanto às startups e negócios em desenvolvimento? O marketing de conteúdo pode ajudá-los a entrar no mapa, fornecendo conteúdo específico para nichos que atenda às necessidades dos consumidores.

Quando uma marca consegue fazer isso de forma consistente, ela eleva-se acima da floresta e torna-se o único ponto de referência em um determinado campo ou nicho.

Isso cria lealdade e confiança. Um dos pilares do marketing de conteúdo é a honestidade. Produzir conteúdo acionável e de qualidade que serve a um propósito. E faça isso sem tentar (diretamente) vender nada. Este é o caminho mais curto para o coração de um consumidor.

Quando um relacionamento é construído com base na confiança e no respeito, é mais provável que se transforme em algo mais lucrativo do que a segmentação de anúncios, que já começou a assustar os consumidores com seu timing e posicionamento estranhos.

Ajuda a construir autoridade. Marcas que representam autoridades em suas áreas, seja economia, tecnologia, estilo de vida ou saúde, simplesmente fazem melhor e crescem mais rápido. Todos nós procuramos figuras de autoridade quando precisamos de ajuda.

Uma maneira de tornar-se uma autoridade no seu nicho de mercado é manter um fluxo constante e confiável de conteúdo de qualidade que resolva dilemas e responda a perguntas, dê ideias e inspire ações.

Além disso, melhora o tráfego. Leads inbound estão entre os resultados mais diretos de uma boa campanha de marketing de conteúdo.

O conteúdo otimizado e de qualidade tem mais probabilidade de ter uma boa classificação nos mecanismos de pesquisa, especialmente se for constante. Isso, por sua vez, significa que mais pessoas vão à sua casa digital para obter informações e ajuda, com sorte clicam em mais do que apenas uma página e engajando-se de uma forma que marque as caixas de geração de leads.

Suporta comunicação social. Um bom conteúdo é facilmente compartilhável.

Quando lança algo que não é apenas bem trabalhado, mas também divertido, envolvente e, acima de tudo, universalmente útil, as pessoas ficam mais propensas a compartilhar com outras pessoas na suas redes sociais. Dessa forma, não pode apenas expandir seu alcance, mas também abre um canal de comunicação entre sua marca e seu público, um canal incrivelmente precioso.

Otimiza a jornada do cliente. Atualmente, a maioria das decisões começa com uma pesquisa. Digamos que temos uma pessoa à procura um serviço na sua área.

Digitam uma consulta na barra de pesquisa e a sua marca aparece em algum lugar na primeira página do SERP. Se o seu conteúdo fornece informações suficientes, diz algo que os seus utilizadores ainda não sabiam e mostra sua confiabilidade, a pessoa (que agora se tornou um cliente em potencial) possivelmente entrará na sua lista, tornando-se um líder e, então, esperançosamente, gentilmente empurrada pelo autoridade que seu conteúdo exala, tornando-se um comprador.

Portanto, os benefícios são bastante claros. Mas o marketing tradicional também tem suas virtudes, certo? A maioria dos canais de marketing “clássicos” ainda está no jogo e ainda ajuda as suas estrategias a ganhar muito.


Marketing de conteúdo x marketing tradicional

Quando falamos sobre marketing tradicional, o que pensamos são os canais comerciais como a TV / rádio, anúncios em jornais, outdoors, placas e banners, cartões de visita, panfletos, etc ... as coisas que a maioria das pessoas pensa quando ouvem falar de “marketing / propaganda." É também aquilo de que a maioria das pessoas está bastante cansada, devido à sua natureza frequentemente intrusiva.

Marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo é o oposto de tudo isso, em vários aspectos:

  • O marketing tradicional diz (deve comprar), o marketing de conteúdo dá (algo de que precisa) - Cria necessidades/ desejos.
  • O marketing tradicional fala para o cliente, o marketing de conteúdo fala com o cliente.
  • O marketing tradicional é geral, o marketing de conteúdo é pessoal.
  • O marketing tradicional é estático, o marketing de conteúdo é dinâmico.
  • É claro como o marketing de conteúdo tem uma abordagem mais humanista, sempre mantendo as necessidades dos clientes em mente. Mas é diretamente mais benéfico para os profissionais de marketing e empresas - simplesmente porque é muito mais barato.


Anúncios do horário nobre são incrivelmente caros. Um anúncio de 30 segundos durante um programa de TV, raramente custa menos de 8.000 € e, dependendo da programação, pode subir muito.

Estima-se que o marketing de conteúdo custe 62% menos que o marketing tradicional, e isso diz muito. Claro, certas estratégias de marketing de conteúdo, como publicações de longa duração com grande circulação, também não são exatamente baratas, mas se nos concentrarmos apenas no mundo digital, que é nosso campo aqui, os custos são muito mais modestos.

Ninguém está a dizer que uma empresa deve abandonar os "métodos tradicionais" em favor do marketing de conteúdo. Na verdade, a maioria das marcas de sucesso combina os dois canais - elas terão uma campanha publicitária tradicional, comerciais de TV, outdoors e tudo mais, com base em histórias. Basta pensar na Coca-Cola e em seus clássicos anúncios de Natal, inverno após inverno.



Principais tipos de marketing de conteúdo

Já mencionamos que o marketing de conteúdo vem em várias formas e formatos, e agora é a hora de examinar algumas das de melhor desempenho.


Blog

Este é um clássico da narrativa. Blog é a narrativa em sua forma mais simples e comum: palavras. Manter uma lista de artigos envolvente e atualizada que atenda às necessidades e dúvidas de seus clientes é uma das maneiras mais fáceis de conquistá-los, sem mencionar que é extremamente útil em termos de SEO. Use o jogo da palavra-chave da maneira certa e os posts do seu blog começarão a aparecer na seção superior das SERPs, direcionando as pessoas para o seu funil.

Whole Foods é um excelente exemplo de marketing de blog de sucesso. Seu público-alvo são pessoas que estão mais do que casualmente interessadas em saúde e bem-estar, por isso o blog oferece dicas e receitas de alimentos saudáveis ​​combinadas com informações corporativas e promoções de produtos.

Tornou-se um local de referência para obter informações sobre todos os tipos de tópicos relacionados à alimentação saudável, mesmo para aqueles que ainda não são seus clientes, graças às suas estratégias de marketing cuidadosamente calibradas.


Vídeo

O consumo de vídeo aumentou tanto que é seguro dizer que representa o futuro do marketing. Os números são claros: em 2022, o vídeo representará mais de 82% de todo o tráfego da Internet. Ele representa o conteúdo com a maior chance de ser compartilhado e a sua retenção de mensagem é extremamente alta: 95%, em comparação com 10% para texto.

Lembra-se do anúncio Epic Split de Van Damme para Volvo Trucks? No entanto, um dos melhores anúncios de todos os tempos não foi um projeto independente - foi na verdade a ponta de um funil de marketing de conteúdo de vídeo cuidadosamente elaborado, completo com filmes de marca, documentários e tutoriais em vídeo, que ajudou a empresa a gerar milhões em receita e consolidou reputação como empresa de caminhões, ponto final.


Podcasting

Na verdade, iniciar um podcast é mais fácil do que parece e pode ser divertido e eficiente, se fizer isso direito. Também é bastante económico, o que o torna um ótimo canal de escolha para empresas em crescimento. Há algo nos podcasts que toca o nervo da nostalgia nas pessoas, talvez porque lembre a era de ouro do rádio.

Além disso, os podcasts permitem aos usuários consumir conteúdo enquanto fazem outras coisas - limpar a casa, tomar café da manhã ou passear com o cão.

O podcasting às vezes é erradamente atribuído à comunidade DIY e à multidão “nerd”, enquanto na verdade muitos jogadores da liga principal como a IBM investem em sindicados formato podcasts sobre tópicos de notícias de tecnologia a consultoria de negócios.


Infográficos

Uma imagem vale mais que mil palavras, e isso é realmente mais do que apenas um ditado antigo. O conteúdo brilhante e visualmente cativante é o melhor amigo do profissional de marketing, pois oferece um resumo de informações que pode ser consumido em segundos e também com prazer.

Os infográficos exigem muito pouco tempo e quase nenhum dinheiro, mas precisam ser bem feitos. Informações bem estruturadas, de preferência com de dados concretos, projetadas de uma forma que siga algumas regras básicas da psicologia da cor, podem ser mais fáceis de consumir do que a maioria dos outros tipos de conteúdo.


Guias e tutoriais

Frequentemente, na forma de post de blog, guias e tutoriais estão entre os pilares do marketing de conteúdo, pois oferecem recursos concretos, sólidos e viáveis ​​de "como fazer" que respondem às necessidades e perguntas diretas dos usuários, como escolher o nome certo para sua empresa ou adicionar uma política de privacidade para o seu site.

Esse tipo de conteúdo é perfeito para melhorar a classificação SERP de uma marca, já que o Google adora conteúdo bem estruturado que segue fórmulas de perguntas e respostas que podem ser exibidas como rich snippets (e os utilizadores também os gostam).


Estudos de caso

Os estudos de caso oferecem uma visão sobre um processo ou uma jornada desde o início até os resultados finais. Em muitos casos, é uma jornada do cliente na vida real, com dados reais, casos de uso que mostram os clientes potenciais e leads, em grande detalhe, o que eles podem esperar caso decidam se envolver com um produto ou serviço.

Os estudos de caso também podem cobrir uma jornada de produto seguindo o mesmo caminho “do início ao fim”. Quanto ao formato, os estudos de caso também podem ser vídeos, e sempre com visual pesado, com infográficos, diagramas e outros recursos visuais.


eBooks

A melhor coisa sobre os ebooks é que eles não exigem tanto esforço quanto se imagina. Pode pensar neles como conteúdo de longo prazo que não será empurrado para baixo na lista de links e, mais importante, um dos mais eficientes ímãs de chumbo na manga de um profissional de marketing digital.

Os ebooks podem ser oferecidos em troca de uma inscrição no boletim informativo, como um presente para novos usuários, como uma forma de mostrar agradecimento aos clientes fiéis e assim por diante.

O seu valor como um presente vem do fato de que eles oferecem uma visão aprofundada do assunto. Dependendo de sua estrutura e volume, eles podem funcionar e servir como um livro-texto - útil para ter à mão e consultar sempre que houver um dilema ou um problema a ser resolvido.


Lista de verificação

Geralmente formatadas para serem facilmente compartilháveis ​​naa redes sociais, as listas de verificação são um excelente tipo de conteúdo para direcionar pequenas e médias empresas e startups, bem como tópicos que dizem respeito às fases iniciais de um projeto ou desenvolvimento de produto.

Oferecem uma lista completa de tarefas para aqueles que não têm certeza por onde começar.

Frequentemente interativas (o utilizador pode marcar ou riscar as etapas concluídas), as listas de verificação são divertidas e úteis e, na verdade, são muito fáceis de fazer e publicar. As listas de verificação também podem assumir a forma de um artigo “regular”, cobrindo “coisas a fazer antes / depois” que um determinado marco foi alcançado.


Conteúdo gerado por utilizadores

Conteúdo gerado pelo utilizador é um termo abrangente para qualquer tipo de conteúdo que os usuários publicam em várias redes sociais. Pode vir na forma de imagens, texto, vídeo, áudio, comentários, críticas e avaliações.

Quando esse conteúdo diz respeito ao seu negócio e o alcança, reúne e republica nas suas próprias redes sociais ou no seu site, torna-se uma ferramenta poderosa para gerar novos leads e, eventualmente, clientes.

A lógica é simples - tendemos a confiar mais nas outras pessoas do que nas empresas e, definitivamente, mais do que nos profissionais de marketing. Quando ouvimos algo bom (ou negativo) sobre um produto ou serviço, isso soa mais profundamente do que qualquer anúncio.



Como criar uma estratégia de marketing de conteúdo de sucesso

Se não é um novo ou iniciante no mercado, é provável que já esteja a utilizar alguma forma de estratégia de marketing de conteúdo, mesmo que não seja necessariamente definida e articulada. Blogs, vídeos instrucionais, talvez partes mais elaboradas de conteúdo, como estudos de caso e white papers - sua produção provavelmente inclui pelo menos parte disso.

Ainda assim, simplesmente publicar conteúdo não pode ser suficiente. A criação de conteúdo deve ter um objetivo e um propósito claramente definidos. E para atingir seu objetivo, não pode simplesmente atirar no escuro na esperança de acertar o alvo aleatoriamente. Simplesmente não faz sentido, nem em termos de tempo nem de custo.

Uma estratégia de marketing de conteúdo clara, bem definida e passo a passo pode ajudá-lo a atingir seus objetivos finais mais rapidamente, com menos despesas, expandindo o alcance a cada etapa e ajudando a melhorar a visibilidade, a reputação e a confiança.

O que faz uma boa estratégia de marketing de conteúdo?

Existem algumas coisas que separam uma boa estratégia de marketing de conteúdo de outras não tão boas.

O primeiro é o equilíbrio, ou mais especificamente, o equilíbrio entre o conteúdo orientado para a pesquisa e a liderança inovadora.

Claro que a classificação de pesquisa é importante. Não pode chegar a lugar nenhum a menos que tenha uma classificação alta, onde todos possam vê-lo. Uma classificação negativa significa pouca visibilidade, razão pela qual a maioria das empresas direcciona a maior parte de seus esforços de marketing para o SEO e adapta sua estratégia de marketing de conteúdo de acordo.

No entanto, nos dias de hoje, têm que contar com o facto de que o público está bem ciente de como os mecanismos de pesquisa funcionam, pelo menos intuitivamente, e já são capazes de reconhecer certas táticas de SEO em funcionamento. Isso às vezes pode causar uma barreira psicológica, uma resistência ao conteúdo que é percebido como isca, como um veículo para atraí-los e fazê-los comprar.

Quando uma estratégia é muito focada na pesquisa, tende a entregar conteúdo que se assemelha a outro conteúdo sobre ou em torno do mesmo tópico. Em seguida, torna-se um jogo puramente de SEO - que pode otimizar as coisas melhor para ter uma classificação mais elevada. Torna-se “forma sobre a substância”, embora, é claro, deveria ser o contrário.

Envolver o público começando uma conversa com eles, contando uma história que soa com eles e, novamente, dando-lhes o que precisam - esses devem ser os objetivos de uma estratégia de conteúdo bem-sucedida.

Outra coisa sobre a qual deve refletir é como pretende estruturar e entregar seu conteúdo. Como veremos em breve, é vital que crie seus tópicos básicos, relacionados e congruentes com o seu nicho e os interesses do seu público. Depois de definidos, pode continuar a criar clusters de conteúdo em torno desses pilares.

Esta metodologia funciona por causa de sua estrutura sólida - tem um pilar ou uma base, e um conjunto de sub-tópicos, satélites se quiser, fluir em torno deles, puxados e mantidos no lugar por uma força gravitacional que é composta de palavras-chave e termos de pesquisa . Esta é uma estrutura que cobre tudo o que almeja, com base em seus insights sobre o que as pessoas precisam.

Claro, pode ir à loucura e publicar conteúdo sobre tópicos que estão apenas vagamente relacionados (ou completamente não relacionados) ao seu nicho de mercado. Mas, a menos que já tenha muitos seguidores e um tráfego anormal, isso será apenas uma perda de tempo e recursos.

Para chegar a um lugar onde tenha uma estrutura de conteúdo que funcione e o equilíbrio perfeito entre conteúdo focado em pesquisa e confiável (liderança inovadora), precisa reservar algum tempo e planejar cuidadosamente sua estratégia.

Um plano de estratégia de conteúdo passo a passo

Quando se trata de mapear a sua estratégia de marketing de conteúdo, ou qualquer outra estratégia para esse assunto, é sempre útil começar a fazer algumas perguntas cruciais. Depois de determinar as respostas às suas perguntas, pode usá-las como etapas ou dicas para o seu plano.

Quais são seus objetivos?

Por "metas" não queremos dizer seus objetivos pessoais ou de negócios, o tipo de coisa "ficar rico, comprar um iate". Queremos dizer que os seus objetivos de marketing de conteúdo - onde deseja que seu conteúdo o leve e o que deseja fazer.

Para a maioria dos profissionais de marketing, significa aumentar a receita, obter mais tráfego em seu site, fazer mais vendas, ganhar influência e se tornar uma autoridade de nicho de mercado ou, mais especificamente, melhor engajamento na social media, melhorar SEO e redução dos custos gerais de marketing e de negócios.

Pode ter mais de um objetivo, pode ter todos ou uma combinação de vários deles. Uma empresa pode ter tráfego de site e classificação SERP bastante satisfatórios, mas pode precisar melhorar o engajamento social ou reduzir a quantidade de dinheiro que gasta em anúncios. Outro pode simplesmente desejar expandir o seu alcance e levar mais pessoas ao site e ao funil.

Quaisquer que sejam seus objetivos, é importante tê-los bem definidos e periodicamente revisitados e revisados.

Quais são os seus KPIs?

KPIs ou indicadores-chave de desempenho vêm como a etapa seguinte natural. Eles representam valores mensuráveis ​​que podem ser usados ​​para rastrear o sucesso em atingir seus objetivos. Eles podem vir na forma de marcos e são expressos em números, sempre que possível.

Os KPIs podem incluir certas metas de receita mensal ou anual, o número de novas inscrições, assinaturas, downloads, compras, indicadores de classificação de pesquisa, cliques, click-throughs, menções, compartilhamentos, comentários e assim por diante. Os KPIs também podem considerar seus gastos, como custos de marketing, gastos de campanha, custos de aquisição de leads e similares.

Quem é seu público alvo?

Essa questão é particularmente importante para adaptar uma estratégia de conteúdo, pois o marketing de conteúdo depende enormemente do direcionamento bem-sucedido das necessidades do público.

Aqui, o primeiro passo deve ser aprender sobre o Google Analytics e as suas muitas ferramentas aprimoradas, e obter alguns dados concretos sobre os dados demográficos de seu público - idade, sexo, renda, educação, localização, bem como alguns dados sobre seu comportamento e interesses.

Em seguida, é hora de coletar feedback. Dados concretos são ótimos, mas nada supera os insights diretos sobre como seu público se sente sobre o seu negócio e o seu conteúdo, quais são as necessidades e problemas deles e onde eles vêem espaço para melhorias.

Essas duas etapas combinadas irão prepará-lo para a etapa final, que é a criação de personas do cliente (também conhecido como comprador).

A persona do cliente reúne características-chave da maior parte de seu público, a parte que pode considerar seu estereótipo de público. Algo como avatares, personas de clientes representam seu público ideal e aquele para o qual estará a direcionar os seus esforços. Idealmente, uma persona do cliente dirá tudo o que precisa saber sobre as necessidades, pontos fracos, atitudes e questões mais urgentes do seu público. Aborde aqueles com sua estratégia de conteúdo, e verá melhorias significativas em todo o seu mapa de KPI.

Caso não esteja literalmente apenas a começar, provavelmente já tem algum conteúdo por aí. O próximo passo na sua estratégia deve, portanto, ser avaliar onde está e como se posiciona em termos de publicação de conteúdo que realmente funcione a favor de seus objetivos.

A melhor maneira de obter esse tipo de percepção é realizar uma auditoria de conteúdo. Uma auditoria de conteúdo é uma avaliação detalhada de cada parte do conteúdo em seu site ou plataforma - artigos de blog, vídeo, interações sociais, comentários, material visual e assim por diante. Não deixe pedra sobre pedra ao examinar cada conteúdo para ver se serve ao seu propósito.

Para uma auditoria de conteúdo completa, é melhor contratar um profissional, se o seu orçamento permitir. Caso contrário, pode usar uma das muitas ferramentas disponíveis, como SEMRush e sua ferramenta Auditoria de Conteúdo. A auditoria de conteúdo deve analisar os seus títulos e descrições, duração, compartilhamentos e interações, bem como backlinks. Em seguida, use os dados para ver se têm links de entrada suficientes a apontar para o seu conteúdo, como se classifica para as palavras-chave no conteúdo e se o conteúdo é suficientemente compartilhado.

O seu objetivo final aqui é identificar o conteúdo que funciona bem como está, o conteúdo que precisa ser atualizado (em termos de palavras-chave, subtítulos, links) e o conteúdo que está tão errado que é melhor removê-lo completamente.

Finalmente, não se esqueça de verificar se há lacunas de conteúdo, ou seja, tópicos que deveria cobrir e que não têm atualmente. Isso inclui perguntas que seu público faz e que ficam sem resposta, bem como conteúdo que tem todo o potencial para uma boa classificação e que de fato começou a subir nas SERPs, mas precisa de melhorias. Uma ótima ferramenta para identificar lacunas de conteúdo é o Ahrefs, que possui uma seção específica apenas para isso, além de outros excelentes recursos de SEO.


Que recursos têm disponíveis?

Antes de definir o que precisa ser consertado e adicionar o que precisa ser adicionado, precisa saber com o que está trabalhar em termos de orçamento e recursos. Observe que isso não significa necessariamente apenas finanças. Recursos também significam pessoas que trabalharão na estratégia de conteúdo e criarão o próprio conteúdo. Também significa ferramentas físicas e digitais para a sua elaboração - espaço de escritório, computadores, suprimentos, bem como servidores, hospedagem, etc.

Tem criadores de conteúdo internos ou os terceirizará, e quais custos essas opções incorrem? Contratar especialistas para produção de vídeo e podcast? Existe uma pessoa em sua equipe que lidará com as redes sociais? Aborde isso como faria com qualquer outro plano de negócios que leva em consideração todas as despesas necessárias e as compara com o orçamento disponível.


Que tipos de conteúdo deve utilizar

Esta é uma etapa que, dependendo de onde está, pode facilmente trocar de lugar com a anterior. O tipo de conteúdo em que se concentrará, dependerá dos recursos disponíveis, mas também pode ser o contrário: planear os seus recursos somente depois de identificar os tipos de conteúdo que planeia lançar.

De qualquer forma, é essencial que decida sobre vários tipos de conteúdo fundamentais e, em seguida, talvez com alguns tipos adicionais de conteúdo, quando e onde for adequado.

Como já discutimos acima, um blog é a forma básica e mais amplamente utilizada de conteúdo em marketing digital. Nunca pode ter muitas publicações de blog, especialmente se elas puderem ser usadas para formar clusters de conteúdo ou para compartilhar em plataformas sociais.

Em algumas situações, um artigo de blog pode ser reaproveitado e convertido em um vídeo ou podcast. Isso é conveniente, pois está a envolver canais de conteúdo adicionais sem realmente ter que produzir um conteúdo totalmente novo do zero. Isso é especialmente verdadeiro para artigos de blog que representam tutoriais, receitas ou instruções.


Quais canais deve utilizar

Esta é mais uma questão em que canto do mundo digital é que o público prefere habitar. Por exemplo, o público jovem passa muito tempo nas redes sociais e prefere o vídeo como meio, então precisa garantir que seu conteúdo chegue até eles. Mas também precisa entrar em detalhes. Por exemplo, 75% das pessoas na faixa etária de 18 a 24 usam o Instagram, enquanto 46% dos adultos mais velhos preferem o Facebook.

Então, em vez de tentar cobrir tudo de uma vez, é melhor verificar com a sua ferramenta de análise (Google Analytics, entre outros) para ver qual conteúdo é mais compartilhado, onde e por quem.


Criação, distribuição e medição de conteúdo

Antes de iniciar o ciclo de produção de conteúdo, é uma boa ideia definir primeiro um calendário de conteúdo. Comece por perguntar mesmo quanto conteúdo deseja publicar e em que prazos. Vai publicar diariamente ou semanalmente? Quantas publicações por dia / semana? Ou seja, defina a periodicidade, tendo como base a capacidade de produção de conteúdo (texto, video, imagem, etc).

Em seguida, crie uma lista de tópicos e questões que deseja cobrir e atribua uma data de publicação para cada um. Preste atenção a tópicos urgentes, tópicos sazonais e aqueles que dizem respeito a questões atuais. Quanto ao planeamento, pode utilizar uma ferramenta simples como o Google Calendar, ou ferramentas especializadas em gerinciadores de tarefas, como Asana ou ActiveCollab.

No planeamento de seu conteúdo, os tópicos são apenas uma parte do processo. O que também importa é garantir que seu conteúdo responda às perguntas e necessidades do público, e a melhor maneira de descobrir o que é isso é conduzir uma pesquisa completa de palavras-chave. Pode então direcionar essas palavras-chave, que é uma maneira infalível de alcançar melhores posições SERP para o seu conteúdo, quer estejamos a falar sobre publicações de artigos do blog, vídeos, listas, podcasts ou qualquer outro tipo de conteúdo que esteja a publicar.

Obviamente, a pesquisa de palavras-chave é apenas um elemento da estratégia de SEO mais complexa que deve seguir. Se não sabe por onde começar e como fazer, sempre pode usar uma das muitas ferramentas de SEO gratuitas à sua disposição.

Novamente, seu conteúdo nunca deve ser puramente focado em SEO. É um ser humano escrevendo para outros seres humanos. Este simples facto, quando aceite e posto em prática, ajuda a criar um conteúdo extraordinário que converte.

Além de ser informativo e acionáveis, os conteúdos também devem ser bem escritos. Nós realmente não podemos enfatizar isso o suficiente.

Ninguém pode tornar-se uma autoridade de nicho de mercado, se o seu conteúdo estiver repleto de erros gramaticais e ortográficos, se for muito longo ou muito curto, muito improvisado ou muito lacônico.

O equilíbrio perfeito não é a coisa mais fácil de se encontrar, mas, felizmente, hoje temos ferramentas que ajudam nisso também.

Antes de nos aprofundarmos no que torna um bom conteúdo, é importante mencionar que a etapa final em cada estratégia de marketing de conteúdo bem-sucedida é a medição dos resultados. É uma etapa que é surpreendentemente ignorada ou negligenciada, mas que pode realmente dizer se sua estratégia funciona ou não.

Para fazer isso, volte para a segunda pergunta ou etapa de sua estratégia - seus KPIs. Use uma ferramenta de análise para verificar se está atingindo suas metas, quais KPIs precisam de mais trabalho, quais são totalmente errados e quais estão em dia.

Procure todas as instâncias de engajamento do seu público alvo, de cliques a menções e comentários e, é claro, a sua classificação SERP. Em seguida, reavalie sua estratégia para encontrar os pontos problemáticos e corrigi-los. Faça isso periodicamente e sua estratégia de conteúdo estará sempre ajustada e atualizada.



Como escrever conteúdo de qualidade que se converta

Um problema com o marketing de conteúdo é que as pessoas são constantemente bombardeadas por ele. Vamos enfrentá-lo - desde que os profissionais de marketing perceberam que esse era o caminho certo a seguir, o conteúdo (bom ou não) se tornou onipresente.

Anúncios tradicionais que incorporam elementos de narrativa, vídeos, histórias curtas na web e, é claro, artigos no blog - estão a ser constantemente enviados ao público a ponto de se tornarem coisas a serem evitadas ou excluídas mentalmente. Isso não significa de forma alguma que esse canal de marketing deva ser abandonado. De facto, mostrámos que, graças às suas inúmeras virtudes, o marketing de conteúdo ainda reina supremamente sobre as outras modalidades de marketing. Mas como se destaca do resto? Como torna seu conteúdo audível em meio a todo esse ruído?

A resposta é aparentemente simples: cria conteúdo de qualidade. Mas isso leva-nos a outro dilema: o que exatamente constitui um conteúdo de qualidade?

O problema com conteúdo de qualidade é que ele precisa agradar a dois juízes muito rigorosos: os mecanismos de pesquisa e o público. Muitas vezes, um exclui o outro. Escreve estritamente para mecanismos de pesquisa, seguindo diretrizes precisas de SEO com muitas palavras-chave, links e mais de 1000 palavras, e acaba com um conteúdo enfadonho e pouco convidativo que, apesar de ter uma boa classificação inicial, logo cai no poço sem fundo dos resultados da página que ninguém realmente olha, muito menos clica.

Por outro lado, pode escrever para o público sem respeitar as regras de SEO, e seu conteúdo, por mais bem escrito que seja, nunca chegará aos leitores.

A questão é que, de alguma forma, precisa fazer as duas coisas. Têm que produzir conteúdo que funcione tanto para o Google quanto para o seu público alvo. Não há atalhos aqui, nem soluções rápidas ou hacks. O seu objetivo é um conteúdo que atinja o topo das SERPs e forneça um valor enorme para o seu público alvo. Esta é a única maneira de fazer isso. Classificações de segunda página e conteúdo normal não vão funcionar.

Finalmente, tenha em mente que um bom conteúdo requer tempo e paciência para começar a dar frutos. Demora cerca de 60 a 180 dias para alcançar o Top 10 do Google, e chegar à posição número um leva ainda mais tempo. Claro, uma boa classificação nunca é garantida. Têm que mostrar ao Google que pode confiar. Essa confiança é baseada na sua autoridade (o número e a natureza dos links que apontam para o seu site), a atualidade do seu conteúdo, sua qualidade, volume e frequência de criação.

Algumas das coisas que constituem conteúdo de qualidade


Singularidade

Um bom conteúdo é sempre memorável. E a melhor maneira de garantir que seja memorável é torná-lo único. Quantas vezes clicou em um título ou link que prometia muito, mas transmitia a mesma coisa que leu ou ouviu 20 vezes antes? Republicações e conteúdo reformulado são extremamente populares entre marcas que se importam em encontrar sua própria voz única ou oferecer uma nova perspectiva sobre as coisas.

E não estamos a falar diretamente de plágio aqui. Claro que isso é um absoluto não-não. A rotação de conteúdo é uma técnica que basicamente reitera os mesmos insights que outra pessoa alcançou, mas "em outras palavras", às vezes tão simples quanto sinónimos, para que não possam ser acusados ​​de plágio.

Agora, ninguém está dizer que só deve publicar conteúdo se tiver algo a dizer que ninguém mais disse, ou se o seu conteúdo for 100% único. Nos dias de hoje, isso é basicamente impossível. O que importa, no entanto, é que sua visão das coisas seja absolutamente nova e única, e que a conte de acordo com a sua própria perspectiva, com a sua própria voz. Idealmente, apimentado com seus próprios dados e experiências.


Relevância e Alinhamento

Um bom conteúdo é sempre relevante para seu público. Claro, precisa conhecer o seu público primeiro, conforme já mencionamos. Depois de saber quem eles são e do que precisam, será fácil modelar seu conteúdo de forma que seja relevante para eles e as suas personas. Se está apenas a começar e ainda não tem um público, concentre-se na essência de seu conteúdo no nicho ou setor que está a almejar, ou seja, quanto mais específico, melhor.

Da mesma forma, o conteúdo precisa estar alinhado - tanto com suas próprias necessidades de negócios quanto com às necessidades do seu público. A chave aqui é encontrar o equilíbrio perfeito. Se pesa muito de um lado, está a perder do outro.

Se o conteúdo for muito voltado para os negócios (muito focado no serviço ou produto e em suas virtudes), pode resultar em muito vendas. O público não se importa com o conteúdo de vendas, pois geralmente é chato e pode parecer manipulador.

O conteúdo focado em negócios também não é o tipo mais amigável para SEO, pois perde muitas oportunidades de palavras-chave.

Por outro lado, o conteúdo que é muito orientado para o público pode ser superficial, muito amplo e até mesmo acessível a cliques. Se prometer muito para muitos, está destinado a falhar e decepcionar. Claro, é importante que agrade e atenda ao público, mas não se esqueça de que seu primeiro objetivo é atender aos KPIs de sua empresa.


Título forte

Um livro, uma história, um filme, uma música - sempre começa com o título. E embora nunca deva julgar um livro pela capa (ou um artigo pelo título), as primeiras impressões realmente importam. É o título que atrai as pessoas e a primeira coisa que informa a decisão de clicar ou não.

Então têm que tornar o seu título forte. Ok, mas como se faz isso? E, o que também é importante, como evitar o isco de cliques?

Com o tempo, certas boas práticas foram estabelecidas em relação a bons títulos de conteúdo, quer estejamos a falar sobre artigos de blogs, vídeos ou outros tipos de conteúdo.

- As listas são incrivelmente populares. As pessoas adoram conteúdo bem estruturado e são mais propensas a clicar nos 10 melhores restaurantes italianos da cidade do que nas recomendações de restaurantes italianos.

- As aulas também são um bom material para o título. 13 lições que aprendi sobre ímãs de chumbo terão um desempenho melhor do que, digamos, alguns insights sobre ímãs de chumbo. Da mesma forma, a fórmula Tudo o que precisa saber sobre ... atrairá pessoas que buscam conhecimento direto e prático.

- A controvérsia pode ser quase antiética como meio de atrair um público e também pode ser uma ladeira escorregadia, mas, quando abordada com cuidado, coisas como "Let’s Face It - Millennials Really Are Spoiled Brats", atraem cliques como moscas.

- As comparações também dão ótimos títulos. O tipo de título Isto vs. Aquilo: O que é melhor promete fornecer informações testadas e comprovadas que comparam as virtudes e as desvantagens de um produto ou serviço. Nessa nota, os prós e contras de XYZ é outra fórmula de título de sucesso.

- Títulos de instruções funcionam muito bem e também têm uma boa classificação, porque são os mais diretos possíveis e também porque fornecem um dos tipos de conteúdo mais acionáveis ​​- instruções.

Claro, não vamos esquecer o aspecto de SEO - o título deve ser rico em palavras-chave e, idealmente, conter sua palavra-chave principal na sua totalidade.


Conteúdos envolventes e compartilháveis

No marketing de conteúdo, muitas vezes ouvimos estas palavras, "envolvimento" e "envolvimento". O que realmente significam? Por "engajamento", geralmente queremos dizer a interação do espectador com o nosso conteúdo - ler, clicar, ficar por perto para explorar outras partes do conteúdo em um determinado canal. Quanto maior o engajamento, melhor, obviamente, já que não só ajuda a conquistar um público fiel que continuará a voltar, mas também o ajuda a ter uma classificação mais elevada.

Digamos que uma relação win-win é privilegiada.

Para que uma parte do conteúdo seja envolvente, ela precisa dar aos leitores (ou espectadores ou ouvintes) o que eles precisam e o que estavam a procurar inicialmente quando vieram para o seu quintal digital. Conteúdo a envolvente os atrai e os mantém interessados, querendo assim saber mais - conteúdo de qualidade mais semelhante e mais sobre sua marca. É a situação vencedora, realmente, e com algum cuidado e esforço pode ser fácil de conseguir.

Quando o público se envolve com o seu conteúdo, também fica mais propenso a compartilhá-lo com os seus pares. Esta é uma excelente notícia, a contar que tenha certeza de que seu conteúdo seja facilmente compartilhável - vestido com botões sociais, feeds de redes sociais e tudo. É incrivelmente simples de organizar isso, graças a uma infinidade de ferramentas e plug-ins para compartilhar nas redes sociais, e pode levar a um longo caminho em termos de presença de marca em todas as principais plataformas.


Estrutura forte e dinâmica

Quando falamos sobre conteúdo escrito, ou seja, publicação de artigos de blog e similares, é muito importante torná-lo bem estruturado. Uma estrutura de artigo forte implica em conteúdo dividido em parágrafos para melhor legibilidade e uma experiência de leitura mais suave. Uma proporção equilibrada de subtítulos também é importante, especialmente para peças mais longas de conteúdo.

Certifique-se de que seus parágrafos não sejam muito longos e volumosos, com três a quatro frases no máximo. Além disso, não criar frases muito longas. Frases curtas, senão incompletas, funcionam melhor com a maioria dos leitores. Lembre-se de que muitos deles não compartilham a mesmas língua materna e podem ter dificuldade em absorver o material num segundo idioma.

A legibilidade da publicação é um fator extremamente importante para o sucesso do seu conteúdo, e é algo que realmente pode medir e melhorar, graças às várias ferramentas à sua disposição.

Marcadores e listas são outra ótima maneira de separar o conteúdo, pois tornam o fluxo da peça mais suave e ajudam o leitor a concentrar-se. Eles também são ótimos para manter os visitantes propensos a deslizarem (scroll).


Otimização de palavras-chave (e sem recheio)

Já discutimos as palavras-chave e sua importância em vários pontos deste guia para marketing de conteúdo. As palavras-chave existem principalmente para o bem dos mecanismos de pesquisa. Sem o uso adequado, poderia escrever um artigo digno do Pulitzer que ninguém jamais conseguirá ler, porque ele nunca será classificado no Google.

Não é fácil escrever um conteúdo otimizado por palavras-chave. Superotimizar é uma coisa, e prejudicial também. Escolha as suas palavras-chave (as principais, secundárias e sinónimos) e use-as em todo o seu conteúdo, mas de maneira uniforme e, acima de tudo, de forma orgânica. Isso significa usar a palavra-chave apenas onde ela se encaixa naturalmente.

Quanto à densidade de palavras-chave, ou seja, o número de palavras-chave por número total de palavras em um texto, não há regra de quantificação definitiva. Os números não são tão importantes aqui quanto o esforço para adaptar e ajustar o conteúdo da palavra-chave e usá-lo da forma mais natural e orgânica possível.

Pesquisa extensa

A pesquisa é fundamental para todos os criadores de conteúdo, independentemente do canal escolhido e do seu nicho específico. Esteja a escrever um artigo de blog, a criar um vídeo, um post ou um podcast, ou talvez um infográfico, precisa iniciar o seu processo com uma extensa pesquisa. Mesmo se estiver a pesquisar sobre a sua própria experiência, ainda precisa fazer algumas pesquisas. Aqui está o porquê.

Ao pesquisar o seu tópico, obtém uma visão de quanta cobertura (e que tipo de cobertura) o seu tópico está a receber, seja dos seus concorrentes diretos ou de veículos que realmente não podem contar como tal. Veja como outras pessoas abordam o mesmo assunto, veja como elas classificam e tente descobrir o que torna esse conteúdo uma boa classificação. Obtenha todos os insights que puder deles e, em seguida, crie seu próprio conteúdo usando a sua própria voz e perspectiva exclusivas.

Observe que, na fase de pesquisa, copiar acidentalmente ou inspirar-se muito no conteúdo de outras pessoas é uma armadilha comum, então tome cuidado. Algumas coisas simplesmente aderem passivamente e depois aparecem disfarçadas de ideais ou conceitos “originais”.

A pesquisa também é importante porque nos fornece dados concretos, que podemos usar para incutir um senso de confiabilidade e credibilidade no nosso conteúdo.

Felizmente, dados estatísticos são incrivelmente fáceis de encontrar hoje em dia, quando tudo é publicado online e não em alguma revista científica especializada que vem apenas em papel.

Portanto, navegue na web e encontre os dados que podem corroborar o que está a dizer e ajudá-lo a provar seu ponto de vista. Certifique-se de sempre citar suas fontes e criar um link para elas. Dessa forma, vai estar a mostrar ao seu público que tem uma abordagem responsável em relação às informações.


Cópia Bem Escrita

É absolutamente necessário publicar apenas conteúdo bem escrito e 100% livre de erros. Este deveria ser um dado, mas nunca é demais reiterar. Os erros (tanto ortográficos quanto gramaticais) não apenas fazem parecer pouco profissional, mas também afetam negativamente o processo de leitura. Erros, quando detectados, interrompem o fluxo de leitura e criam uma experiência negativa que definitivamente não deseja associar à sua marca. Além disso, os mecanismos de pesquisa cresceram para reconhecer e avaliar a quantidade e a gravidade dos erros e para classificar o conteúdo que está repleto deles.

Pode ser difícil detectar erros em seu próprio trabalho. A auto-revisão é basicamente uma tarefa impossível, devido a certos processos psicológicos que nos impedem de ver nossos próprios erros. É por isso que todo meio de produção de conteúdo sério deve sempre ter um editor interno para cuidar disso.

Se está apenas a começar e não tem ninguém por perto para dar uma olhada no seu conteúdo, pode sempre recorrer a uma das muitas ferramentas de verificação gramatical que os criadores de conteúdo de hoje têm a sorte de ter à sua disposição.


Conteúdo Multimédia

O vídeo é o meio do século XXI. As imagens são outro clássico, assim como o material de áudio. Na verdade, pode-se argumentar que quase todos os outros tipos de conteúdo são preferidos ao texto simples e antigo. Especialmente se for apenas isso - todo texto, parágrafo após parágrafo.

Não é apenas uma questão de gosto e preferências do público moderno. Pessoas diferentes aprendem de maneiras diferentes e muitas pessoas aprendem visualmente. Embora possa não estar necessariamente a tentar “ensinar uma lição” com o seu conteúdo, ainda quer que ele permaneça, então deve se certificar de atender aqueles que preferem recursos visuais.

E não se preocupe se não tiver vídeos para incorporar às suas publicações. As imagens podem ser tão envolventes quanto podem agregar valor significativo ao seu conteúdo. O equilíbrio é crucial aqui também. Definitivamente deve ter mais do que apenas uma imagem (a chamada imagem em destaque ou imagem principal), mas não muitas. Além disso, suas imagens devem ser otimizadas para a web, a fim de garantir o melhor desempenho possível do seu site.

Além de vídeos e imagens, considere adicionar ilustrações personalizadas, infográficos, diagramas, gráficos e outros enfeites. Pode ser criativo com seu conteúdo multimédia, desde que esse conteúdo seja relevante, valioso e de marca.


Atualizações de conteúdo regulares

A importância de visitar de novo e atualizar regularmente o seu conteúdo é dupla. Por um lado, o Google usa “frescor” como um indicador de qualidade e, portanto, tende a aumentar o conteúdo com datas de publicação mais recentes. Por outro lado, o público analisa as datas de publicação para estabelecer se as informações que encontrarão ainda são relevantes e aplicáveis. Se vir dois artigos sobre o mesmo assunto, um de 2014 e outro que diz “atualizado em 2020”, em qual clicará?

Ao atualizar um conteúdo, não conte com o Google para disparar para o topo das SERPs depois de alterar apenas uma frase ou duas. Os mecanismos de pesquisa também levam em consideração a natureza e a quantidade de alterações. Para ser reconhecida como nova e recente, a atualização precisa ser um pouco mais substancial do que isso.

Por fim, atualizar o conteúdo também tem a ver com autoridade e imagem da marca. Se deseja que o seu conteúdo permaneça preciso e relevante, deve revisitá-lo ocasionalmente e ver se alguma coisa mudou, atualizando as informações para corresponder ao estado atual. É a única coisa responsável a fazer, especialmente se estiver a lidar com dicas, conselhos e como fazer em torno de informações precisas e concretas.

Observe que por “atualização” também queremos dizer a publicação de novos conteúdos. A frequência dependerá do seu calendário de conteúdo, mas tenha em mente que os motores de busca favorecem os sites que são frequentemente atualizados com novos conteúdos.

Marketing de conteúdo em todas as etapas da jornada do cliente

Conteúdo de qualidade está na base de toda estratégia de marketing de conteúdo bem-sucedida, ao lado de etapas ou estágios essenciais que garantem que a estratégia alcança o seu objetivo. Depois de cuidar desses elementos, é importante lembrar que diferentes estágios da jornada do cliente exigem abordagens ligeiramente diferentes em termos de tipo de conteúdo e os canais certos para distribuí-lo.

O funil de marketing de conteúdo pode ser dividido em três níveis: parte superior do funil (TOFU), meio do funil (MOFU) e parte inferior do funil (BOFU).

A parte superior do funil é o estágio de geração de leads, enquanto a parte inferior do funil é o estágio de compra. O meio do funil é, bem, tudo o que acontece no meio da jornada do cliente.

Na maioria dos casos, o procedimento ideal seria atribuir a cada estágio um tipo de conteúdo específico e um canal específico que funcione melhor com aquele estágio específico.

Conteúdo do topo do funil

O foco desta etapa é direcionar e atrair clientes / públicos potenciais. Na maioria dos casos, isso envolve a utilização de mecanismos de pesquisa, bem como campanhas de e-mail e marketing de social media. O objetivo é atrair as pessoas e torná-las interessadas em prosseguir para a próxima etapa da jornada do cliente.

Nesse estágio, os tipos de conteúdo, como artigos de blog informativas e acionáveis ​​(instruções, dicas e guias), têm se mostrado cada vez mais eficazes, seguidos por páginas de destino, listas de verificação, infográficos, e-books e whitepapers.

Esse tipo de conteúdo é predominantemente informativo em sua natureza e seu valor para o cliente é claro e direto - fornece respostas e orientações.

As principais métricas a serem usadas nesta fase incluem o tráfego do site, o tempo gasto na página e, é claro, as taxas de conversão.

Meio do conteúdo do funil

Nesse estágio, o conteúdo que está a elaborando é projetado para aqueles que já estão em seu banco de dados, ou seja, leads que já estão familiarizados e que estão ativamente engajados com sua marca. Este é o momento de induzir gentilmente os clientes em potencial a se tornarem clientes e, basicamente, alinhar as necessidades de seus leads com o que está a vender, antes de prosseguir para o estágio final da jornada do cliente - a compra.

Pesquisa orgânica, campanhas por e-mail e social media continuam sendo os canais principais para distribuição de conteúdo, enquanto os tipos de conteúdo que melhor correspondem a esse estágio de funil incluem guias e tutoriais, vitrines e visões gerais de produtos, histórias de sucesso e estudos de caso. Nesse ponto, as pessoas cujo interesse despertou, desejarão saber mais antes de se comprometerem com uma compra, e deve garantir que seu conteúdo forneça a elas todas as informações relevantes.


Conteúdo do fundo do funil

A falar francamente, a parte inferior do funil é projetada para vender. Já capturou seus leads, fez seus clientes em potencial e agora é a hora da conversão - para transformá-los em compradores ou clientes.

Esta fase final da jornada do cliente é melhor canalizada por meio de busca orgânica, campanhas de e-mail, mas desta vez também campanhas PPC e anúncios pagos. Vitrines de produtos, análises de clientes e histórias de sucesso são o tipo de conteúdo ideal para a parte inferior do estágio do funil, e as principais métricas incluem taxa de conversão, número de pagamentos e ROI / ROMI.

No marketing de conteúdo, é importante sempre lembrar que não existem soluções universais que se apliquem a todos os casos, independentemente de suas especificidades. O funil de vendas é o exemplo perfeito, com diferentes ferramentas escolhidas na caixa de ferramentas do profissional de marketing e diferentes caminhos para usá-las ao longo dos estágios do funil.

Agora que cobrimos alguns dos procedimentos básicos do marketing de conteúdo, vamos mencionar em algumas coisas que não devemos fazer.



10 erros mais comuns de marketing de conteúdo (e como evitá-los)

Muitas pessoas, especialmente os novatos em marketing e aqueles que estão apenas se aventurando no mercado, veem o marketing de conteúdo como algo bem básico para dominar. Escreve coisas, mostra algumas fotos, compartilha nas suas redes sociais e pronto. Então, alguns meses depois, eles olham para os números e coçam a cabeça: “Por que não estamos a receber mais tráfego e a ganhar mais dinheiro?”

Como vimos ao longo deste guia, o marketing de conteúdo é um campo complexo que exige uma abordagem séria e muito planeamento e avaliação. Muitas vezes, terá que voltar à sua listagem de processos, provavelmente porque cometeu um erro que lhe custou os seus objetivos.

É dito que "homens sábios aprendem com os erros de outros homens, tolos com os seus próprios." Não se considere um tolo - verifique alguns dos erros mais comuns do marketing de conteúdo:


Nenhuma estratégia clara

Como já vimos com bastante clareza, uma estratégia de marketing de conteúdo completa é uma necessidade absoluta para qualquer empresa que queira realmente chegar a algum lugar. A estratégia precisa ser definida do início (metas e KPIs) ao fim (medições), com revisões ocasionais para verificar se as etapas planeadas ainda fazem sentido.

Alguns projectos criam estratégias que não são específicas o suficiente, alguns não fazem nenhuma estratégia, acertando aleatoriamente (ou mais frequentemente - perdendo) as suas marcas. Mas os melhores profissionais de marketing sempre têm uma estratégia clara, precisa e completa.


Não sendo um especialista

Não pode simplesmente publicar sobre qualquer coisa. Ou, pior ainda, sobre tudo de uma vez. As melhores estratégias de marketing de conteúdo são centradas em torno de um campo no qual a empresa é uma autoridade e são elaboradas e executadas por pessoas que realmente são especialistas nessa área. Um blog de moda não deve escrever sobre saúde ou marketing, e um designer UX provavelmente não seria um bom analista político.

Atenha-se à sua experiência, que deve, é claro, corresponder à natureza da sua marca ou negócio, e escreva sobre o que sabe melhor. Seu conhecimento ficará aparente em sua cópia e será muito fácil para o público entender e apreciar. Ao provar que é um especialista, está a trabalhar ativamente para se tornar uma autoridade de nicho, algo que será recompensado pelo público e pelos mecanismos de pesquisa.


Pesquisa insuficiente

Como acontece basicamente com qualquer empreendimento, o marketing de conteúdo deve sempre ser baseado em pesquisas extensas. E por pesquisa, na verdade queremos dizer duas coisas: pesquisar seu público-alvo (para construir suas personas de cliente) e pesquisar seu tópico.

Somente quando souber quem é seu público, o que ele precisa e como prefere obtê-lo, será capaz de criar um conteúdo que atenda a todos os requisitos.

Quanto aos tópicos, mesmo que seja um especialista em sua área, isso não significa que não deva realizar pesquisas sobre novas tendências, novos insights, dados concretos para apoiar suas afirmações e assim por diante.


Esquecendo de fornecer valor

Às vezes, as marcas direcionam muito de seu conteúdo para cantar seus próprios elogios e acabam a promover-se excessivamente. O tipo tradicional de discurso “vendedor” há muito foi abandonado em favor de uma narrativa instigante que envolve, entretém e, acima de tudo, fornece valor para seu público. Isso leva-nos de volta ao início do nosso guia, quando mostramos que o valor está no cerne do marketing de conteúdo. As pessoas têm necessidades e problemas e é o seu trabalho abordá-los e resolvê-los.


Focar em apenas um tipo de conteúdo

Sabia que nós realmente processamos imagens 60.000 vezes mais rápido do que texto simples? Quando se trata de absorver informações, o visual simplesmente supera o textual.

Claro que ninguém quer ler um artigo que é apenas um pedaço de texto após o outro. Romper com uma ou duas imagens? Claro, isso vai ajudar. Hoje em dia, pode encontrar excelentes fotografias de arquivo gratuitamente. E muito mais fotos de stock profissionais estão disponíveis se estiver disposto a gastar alguns euros. Esta é uma maneira excelente e económica de incrementar seu conteúdo. Mas seria ainda melhor se tivesse algumas ilustrações personalizadas ou, de preferência, alguns infográficos personalizados que apoiam e ilustram seus pontos de vista.

Mas um erro comum que muitos profissionais de marketing de conteúdo cometem é parar por aí, apenas nas imagens. Hoje em dia, o vídeo é tudo. Incorporar um vídeo em suas postagens de blog agradará tanto o público quanto os motores de busca, e também poderá conectar seu conteúdo em diferentes canais (site, blog, YouTube, plataformas sociais), sem falar no potencial de compartilhamento nas redes sociais.

Também pode considerar redirecionar algumas das suas publicações para infográficos. Esse tipo de conteúdo é fácil de incorporar em qualquer lugar que quiser, incluindo suas campanhas de e-mail; é compartilhável e, o mais importante, é muito amigável, uma vez que agrupa muitas informações em um formulário que é consumido instantaneamente.

O conteúdo multimédia não é apenas divertido - é extremamente útil e possivelmente essencial para obter mais tráfego e mais leads.


Entrega irregular de conteúdo

Mais conteúdo significa uma chance melhor de ser notado, tanto pelos mecanismos de pesquisa quanto por seus leads em potencial. Mas o volume não é tudo - tem que ser regular. Nós, humanos, somos criaturas de hábitos. A regularidade nos dá uma sensação de controle e esse é um dos nossos principais esforços. Psicologia à parte, se se compromete com uma determinada saída de acordo com um certo calendário - cumpra. Não pode publicar seis post por semana e depois ficar ausente por dez dias. Isso fará com que pareça frágil e indigno de confiança.

Post regulares que são compartilhadas por meio de um boletim informativo em qualquer base que definiu, bem como post nas suas redes sociais - é assim que constrói um público. Marca um encontro com eles e, assim como a raposa do Pequeno Príncipe, quando o virem nos horários previstos, ficarão maravilhados. Pode parecer uma coisa pequena, mas na verdade é muito importante.


Segmentação muito ampla

É verdade o que dizem: não pode agradar a todos. E não deve tentar. No marketing de conteúdo, onde estabelecer a persona do cliente é crucial, precisa desistir da noção de que pode cobrir, alcançar e converter todos. Não pode, simplesmente porque pessoas diferentes querem coisas diferentes. Depois de identificar o seu público-alvo, precisa esquecer todos os outros. Está a prestar serviços de consultoria de negócios? Então esqueça as donas de casa e os aficionados por saúde. Tem uma loja de produtos de beleza? Pare de focar no público masculino com mais de 65 anos.

O seu nicho é bem restrito, não é? Não há razão para não restringir o seu público-alvo também. É a única maneira de entregar conteúdo que realmente agregue valor.


Falta de CTAs

Pode escrever um conteúdo extraordinário e trazer grande audiência para o seu site, mas sem alguma orientação adicional na forma de CTAs, para onde eles vão? Eles simplesmente ficam por aqui, se tiver sorte, e se tiver muita sorte, o que ninguém realmente tem, eles vão de alguma forma encontrar o caminho para o fundo do funil. Mas, na realidade, não funciona assim. Têm que direccioná-los, e têm que fazer isso com frases de chamariz.

Uma quantidade surpreendente de bom conteúdo não consegue converter simplesmente devido à falta de CTAs. É claro, não podem ser forçados no seu conteúdo se não houver espaço para eles organicamente. Precisa construir o seu conteúdo de uma forma que deixe um local natural para CTAs. Além disso, deve jogar seu jogo de CTA da maneira certa - planejar e projetar seus CTAs de uma forma que optimize a conversão.


Não mede o suficiente

Às vezes, os profissionais de marketing ficam tão entusiasmados com o aparente sucesso de sua estratégia que se esquecem de medir meticulosamente cada KPI. Uma única métrica não significa muito. Pode estar recebendo muito tráfego, mas poucas ou nenhuma conversão. E, no entanto, sente que só porque muitas pessoas acedem seu site, está a fazer tudo certo.

Em primeiro lugar, as pessoas que visitam o seu site podem não estar necessariamente a ler o seu conteúdo. Ou, se estiverem a ler, podem desistir no meio do caminho, ou ler todo o caminho, mas não se envolver, não compartilhar ou clicar em seus CTAs. Então realmente não pode usar isso como um indicador.

Como mencionamos anteriormente, a medição deve ser parte integrante de toda estratégia de conteúdo que visa o sucesso. A análise cuidadosa de dados e o alinhamento de sua estratégia de acordo com as suas descobertas, em uma base regular, é a única maneira de saber se está a fazer certo e se certas áreas da sua estratégia de conteúdo precisam de melhorias.


Nenhum criador de conteúdo interno

Para esforços sérios de marketing de conteúdo, não pode simplesmente delegar a criação de conteúdo à sua equipe existente, esperando o melhor. A terceirização pode ser uma solução, mas apenas transitória. Para obter os melhores resultados, o conteúdo precisa ser criado por alguém que compartilhe seus objetivos e entusiasmo e que se veja como parte da família de sua marca.

Atribuir vários membros da equipe para escrever e publicar pode resultar em conteúdo que não é apenas desfocado e sem graça, mas também mal escrito, pouco pesquisado e esporádico. O conteúdo é tão importante quanto o marketing tradicional (se não mais, como vimos antes) e merece investimento em recursos tanto quanto outras partes do seu departamento de marketing.



14 ferramentas de marketing de conteúdo mais úteis

Devido à complexidade da tarefa em mãos, um profissional de marketing de conteúdo pode realmente usar toda a ajuda que puder obter. Felizmente, nesta era de automação, não faltam ferramentas e soluções fáceis e acessíveis que podem ajudá-lo em grande parte do trabalho.

WordPress

WordPress é muito mais do que uma ferramenta simples - é um sistema que gere conteúdo completo. E merece estar no topo da sua lista graças à sua versatilidade, escalabilidade e uma enorme variedade de recursos feitos sob medida para publicar conteúdo.

Inicialmente desenvolvido como uma plataforma de blog, o WordPress hoje fornece uma plataforma abrangente e inclusiva para qualquer tipo de site, independentemente do setor ou tamanho. Uma infinidade de plug-ins super úteis ajuda a estender a sua funcionalidade e a direcionar necessidades e tarefas específicas - desde aquelas relacionadas à segurança e desempenho, por meio de SEO, divulgação e geração de leads, até problemas de design.

Depois, há os temas. Especificamente, os temas premium do WordPress que fazem seu site parecer totalmente profissional e confiável. A escolha de temas é tão ampla que certamente escolherá um que se encaixe na estética da sua marca em termos de design. Finalmente, o WordPress é uma plataforma de código aberto com uma comunidade incrivelmente ativa. Os usuários são incentivados a trabalhar juntos e ajudar uns aos outros a resolver problemas e melhorar o desempenho e a funcionalidade dos sites. Com tudo isso combinado, fica claro por que o WordPress é, de fato, a plataforma de marketing de conteúdo perfeita.

Google Analytics

Quando se trata de pesquisar o público, seu comportamento, necessidades e problemas, bem como medir os resultados em vários canais, nada supera o Google Analytics.

Esta ferramenta essencial é totalmente gratuita e qualquer pessoa com uma conta do Google pode se registrar. Pode acompanhar o tráfego em vários ativos (sites), definir atributos e exceções específicos e escolher quais métricas monitorizar até o menor detalhe. O Google Analytics é geralmente bastante acessível, embora com requeira conhecimentos básico. Mas, com a orientação adequada, pode ser dominado em nenhum momento e aproveitado para colher o máximo benefício.

Yoast

Anunciado como “SEO para todos”, o Yoast é uma ferramenta apreciada tanto por novatos quanto por especialistas em SEO. Esta solução fácil de usar ajuda a otimizar o conteúdo do seu site para mecanismos de pesquisa, focando em itens essenciais, como volume e posicionamento de palavras-chave, metadados, otimização de URL e imagem e até legibilidade de publicação.

Extremamente amigável e fácil de configurar, o Yoast é totalmente compatível com o WordPress e se integra a todos os aspectos do seu site, alertando sobre áreas que precisam ser melhoradas, acompanhando seu sucesso ao longo do caminho.

RankMath

Outra adição recente ao mercado de ferramentas de SEO é o RankMath, uma ferramenta que se baseia em módulos personalizáveis.

Permite que rastreie a classificação de palavras-chave do Google, sugere links internos, cuida da otimização de imagens com tags alt, cria breadcrumbs, verifica seu site com várias ferramentas para webmasters, do Google Search Console e Bing ao Baidu, Alexa e Pinterest e muito mais .

Graças a esses recursos, o RankMath rapidamente tornou-se um candidato sério à ferramenta de SEO número um do mercado atualmente.

Evernote

A boa criação de conteúdo requer inspiração, ideias e planeamento, e há uma ferramenta que pode ser de grande ajuda nesta fase específica - Evernote. Essa ferramenta, que funciona em todos os dispositivos, permite não apenas criar e guardar notas, mas também compartilhá-las com a sua equipa em um esforço colaborativo.

As notas podem consistir em texto simples, é claro, mas também em imagens, clipes de páginas da web e até PDFs. Mantém todas as suas anotações em um só lugar, que a sua equipa pode aceder de qualquer lugar, usando qualquer dispositivo.

É basicamente um virtual seguro para suas ideias. Graças à sua interface de usuário intuitiva, é muito mais conveniente do que, digamos, o Google Docs ou soluções semelhantes, mais volumosas e menos específicas.

Trello

Por falar em colaboração, existe uma ferramenta que se diferencia das soluções de trabalho em equipe semelhantes: o Trello. Com base em quadros, listas e cartões simples, o Trello permite o gerir fácil o fluxo de trabalho em todos os projetos e equipes da empresa e atua como um incrível impulsionador da produtividade, completo com automação do fluxo de trabalho.

Os membros da equipe podem facilmente adicionar comentários, datas de vencimento, anexos e muito mais, e também pode ser usado para agendar a publicação de conteúdo.

ClickFunnels

Os funis de vendas representam a jornada de transformar um visitante em um cliente potencial para transformar um cliente potencial em um comprador. Esses funis não são universais para todos os visitantes / leads, nem existe uma jornada universal do cliente, por isso é necessário um certo grau de segmentação, bem como o desenvolvimento de vários funis diferentes que exigem estratégias e medidas diferentes.

Parece muito trabalhoso, mas existe uma ferramenta que pode ajudar. ClickFunnels cria funis de vendas, então não precisa criá-los do zero, e faz isso com a ajuda de modelos fáceis de usar. Além dos funis de vendas, também pode usar essa ferramenta para criar funis de associação, funis de auto-webinar, testes A / B e até integrações de e-mail.

Uberflip

Como uma ferramenta de criação e gerenciamento de conteúdo mais generalizada, o Uberflip é uma plataforma de experiência de conteúdo, ou melhor, uma coleção de diferentes ferramentas para geração de leads, marketing baseado em contas, marketing de conteúdo e vendas.

Ao colocar todos os seus diferentes fluxos de trabalho de marketing (artigos de blog, vídeos, e-books ...) em um só lugar, pode desfrutar do gestor centralizado que não só economiza muito tempo, mas também garante uma interação ininterrupta e contínua com o público e os clientes.

SEMrush

Uma ferramenta que já mencionamos algumas vezes, SEMrush é uma das plataformas de marketing de mecanismo de pesquisa líderes e mais populares do mundo. Uma verdadeira potência de marketing, SEMrush ajuda com SEO, PPC, marketing de conteúdo, pesquisa e social media.

É embalado com recursos úteis, como uma ferramenta de pesquisa de palavras-chave, verificador de backlink (que pode usar para seus concorrentes também), pesquisa orgânica, dados históricos, relatórios programados, ideias de tópicos, verificador de plágio, ferramentas de auditoria de conteúdo e muito, muito Mais.

Amortecedor

A principal ferramenta para agendar as suas publicações nas redes sociais, o Buffer é um aplicativo da web e móvel para gerir várias contas de redes sociais. Já discutimos a importância da consistência na criação e publicação de conteúdo, e ferramentas como o Buffer podem ser de grande ajuda quando se trata de garantir que seu público receba atualizações regulares.

Além da ferramenta de publicação, o Buffer também apresenta soluções para analisar o desempenho das suas redes sociais, completas com relatórios abrangentes para todas as suas redes sociais em um único painel.

MailChimp

Para muitos profissionais de marketing, MailChimp é sinônimo de campanhas por email. A ferramenta de automação de e-mail mais popular é particularmente adequada para pequenas e médias empresas e é totalmente gratuita (até um certo número de e-mails e assinantes). O MailChimp ajuda a criar listas de e-mail e rastreá-las, com métricas que incluem taxa de abertura e clique, fornecendo informações valiosas sobre como suas campanhas de e-mail estão realmente indo e em quais áreas elas poderiam ser melhoradas.

Ahrefs

Todo bom conteúdo é primeiro bem pesquisado - tanto em termos de assunto, quanto em termos de tráfego, volume de pesquisa e classificação de palavras-chave. Ahrefs é um poderoso conjunto de ferramentas de SEO que o ajuda com o último. Ferramenta de rastreamento de classificação, recursos de auditoria e explorador de sites, um analisador de backlink e muito mais.

O Ahrefs rastreia mais de um bilhão de peças de conteúdo todos os dias e oferece acesso a 16 trilhões de backlinks e 7 bilhões de palavras-chave. Resumindo, dá-lhe uma ideia de quem é o seu concorrente para uma determinada palavra-chave, como a classificam e porquê, e também o ajuda a monitorizar o seu próprio progresso de SEO.

Grammarly

Outra ferramenta que já discutimos anteriormente neste guia para marketing de conteúdo, Grammarly é um software que usa inteligência artificial para ajudá-lo a escrever melhor. Este assistente de redação integra-se ao seu software de edição de texto e verifica se há erros de ortografia e gramática enquanto escreve.

Também está disponível como uma extensão do Chrome, permitindo que verifique a sua escrita em plataformas online, formulários, comentários e assim por diante.

O que diferencia o Grammarly de outros verificadores ortográficos e gramaticais é o fato de ele levar o contexto em consideração e até mesmo analisar seu tom, garantindo que sua mensagem seja transmitida exatamente como deseja. E, além disso, possui uma ferramenta de verificação de plágio.

Canva

Um bom conteúdo precisa ser bem ilustrado e apresentar recursos de multimedia também. Ainda assim, se não é um designer ou não tem um na sua equipa, pode ser um problema, já que nem todo mundo é um gênio do Photoshop.

Felizmente, com o Canva, qualquer pessoa pode criar gráficos, apresentações e outras medias visuais para seus artigos, bem como para seus perfis de media social. Este software de design gráfico apresenta um construtor intuitivo de arrastar e soltar com modelos e layouts predefinidos, projetados para maximizar o efeito de seus visuais.

Esta ferramenta tem uma excelente versão gratuita que pode servir muito bem para projetos pequenos e médios, com mais de 8.000 modelos gratuitos e mais de 1.000 estilos de design.

Principais vantagens

Um bom conteúdo deve estar focado e alinhado tanto com as necessidades do negócio quanto com as necessidades do público.

Deve fornecer valor e ser acionável, único e confiável, bem como bem pesquisado e bem escrito. É fundamental ter sempre uma estratégia de marketing de conteúdo, com KPIs, benchmarks, pesquisas e medição cuidadosamente planeadas.

O marketing de conteúdo é muito mais do que apenas blogs - para melhores resultados, deve ser uma combinação de texto e multimédia, cuidadosamente planeada para cada segmento de público e plataforma. A sua principal virtude reside no fato de que cria um vínculo entre uma marca e seu público - um vínculo baseado em autoridade, valor, confiança e respeito.

O marketing de conteúdo é um campo enorme que é tão essencial para o sucesso quanto o marketing tradicional - se não mais.

Embora seja um campo complexo, o marketing de conteúdo não é difícil de dominar, com pouco esforço, tempo e um conjunto de ferramentas para otimizar o desempenho de sua estratégia.

Em última análise, o marketing de conteúdo é algo que nenhuma empresa pode deixar de perseguir. Para iniciantes, pode parecer uma tarefa complicada, mas é exatamente por isso que criamos este guia.

Agora sabe tudo o que há para começar na direção certa, então - comece a criar!

Marca Web

Inovamos com tecnologia e criatividade! Desenvolvemos soluções web e estratégias de marketing digital à medida.

Oeiras
Portugal

9.00 AM - 6:00PM